Você conhece este tipo de sequestro?

Pense aí por 10 segundos: o que faz um casal brigar?

1…

2…

3…

4…

5…

6…

7…

8…

9…

10…

Deve ter passado aí pela sua cabeça: traição, dinheiro, família, educação dos filhos, bar com os amigos. OK, válido. Mas eu tenho o grande campeão que provavelmente você não pensou mas que vai concordar comigo. Pronto?

Faxina!

Se você não é um desses privilegiados que tem a casa limpa e organizada a troco de algumas centenas de reais mensais, certamente a faxina já trouxe treta para seu lar em algum momento.

Eu costumo dizer que foi o diabo que inventou a limpeza de casa. Não conheço nada que seja tão perfeito em desgraçar um casal: se faz em dupla, não se entende. Se faz sozinho, a cabeça fica vazia cultivando aquela raiva pelo outro que pela enésima vez NÃO LEVOU A PORRA DO LIXO PRA FORA!!!!!!!!!!!

Não é atoa que as bruxas escolheram uma vassoura pra dar seu rolê.

Sempre lembro das nossas mães, as senhoras na faixa dos 55-65 anos, que ainda são de uma geração com predomínio das Do Lar. A pegada de limpeza é uma coisa fenomenal: são rápidas, precisas e completamente viciadas em fazer mais. Terminou a faxina? Ah… da pra jogar uma água aqui nessa calçada. Terminou? Ah… acho que vou fazer um bolo. Terminou? Hmmm… essas plantas aqui…

O que mais me incomoda é pensar quanto conteúdo foi tirado dessas mães por esse diabo alvejado e engomado. Elas nos criaram dentro de casa quando ainda não se mandava bebês pra creche e nos tornamos pessoas legais. Mas vamos ser francos: conteúdo não era o forte delas. Sobretudo quando a gente ficava maior e começava a questionar até o vento. O lava-passa-cozinha lhes tirava o assunto, as idéias, o debate.

Ninguém se preocupava com isso? Claro que não. Estavam sequestradas pelo rodo!

Me pergunto se nossas mães tivessem exorcizado o capeta da vassoura e dedicassem o dia a nos levar a lugares malucos, conhecer parque, museu, marcenaria, cozinha de restaurante, teatro, câmara de vereadores, oca de índio. Quanto as mentes estariam mais abertas se elas tivessem conseguido deixar tudo meia-boca no setor do balde. Não dava? Claro que não, tinha que deixar tudo limpinho!!! E a troco de que, gente? Ninguém reconhece resultado de faxina não. Só presta pra deixar a pessoa amarga e cansada.

Não se trata de criticar nossas mamães do lar. Tô falando de como elas possivelmente foram desperdiçadas pela cultura do impecável. Perderam a chance de explorar a cidade, conhecer, conversar coisa que presta e se encher de assunto. Ao voltar pra casa estaria tudo meio sujo mas ISSO tinha que ser a coisa a fazer no tempo que sobra, não o resto.

Essa birosca de limpar casa tem que ocupar o tempo necessário pra que as coisas sejam higiênicas e nem um minuto a mais. É só um remédio ruim que vc toma rápido e esquece até a próxima dose.

Questão de juizo: sequestros podem acabar mal.

 

Imagem: barbixas.com.br

2 Replies to “Você conhece este tipo de sequestro?”

  1. Como sempre, gostei demais, e vc tem razão, quem dera tivessemos tido essa idéia de passear ao invés de limpar, mas sinceramente não estava no sangue e nem na mente.Uma pena!!!!!

  2. Como sempre, gostei demais.Quem dera tivessemos tido a idéia de passear ao invés de limpar.
    Mas estava no sangue e na mente ( o dever da limpeza).Que pena!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *