Vitória das fraldas… só falta vencer a estupidez.

Já tem um tempo que eu falo aqui sobre a falta de fraldários acessíveis aos pais. A gente anda por aí cuidando da gurizada e quando eles por acaso se embosteiam até a nuca acontece de só ter fraldário no banheiro feminino.

Acontece muito.

Na semana passada foi sancionada uma lei na cidade de São Paulo que obriga os shoppings a terem fraldário acessível a homens. Ainda é pouco, a coisa é só pra shopping centers quando deveria ser pra todo espaço público, mas já é um belo começo.

Apesar desse assunto ser recorrente, a divulgação da nova lei me trouxe uma surpresa ingrata: existe gente que não aprova a iniciativa. Essa me pegou no contrapé. Eu nunca ia imaginar que alguém pudesse se opor a algo que promove mais um avancinho na conscientização sobre paternidade ativa.

Fiquei curioso e fui ver os argumentos do pessoal contrário. Olha só:

Não confio em homem nenhum

Essa é mole: se você não confia no seu cara, não deixe sua criança com ele. Pronto. Lamento que suas experiências até aqui não tenham sido legais mas isso não te dá o direito de ficar no caminho de algo que só vem favorecer quem tem relações mais saudáveis.

O local pode estar cheio de tarados

Vi bastante esse papo. Realmente a homarada não tem feito bonito por aí. Cada vez são mais e mais casos de abuso noticiados e de fato é bem fácil ter um pedófilo/tarado/maníaco por ali enquanto o cidadão troca sua princesinha. Mas veja que informação incrível: eles não moram no banheiro! SIM! Este fato novo pode ser impressionante pra você, mas acredite: o maníaco não passa o dia se masturbando no fraldário. Ele está na rua, na mesa ao lado daquele restaurante caro, na escolinha e muitas vezes dentro da sua casa! Se você realmente espera manter sua criança longe dos olhos deles, sinto informar que vai ter que tracá-la num baú, o que faria de você um outro tipo de criminoso. Vigilância sempre, mas privar os homens de trocarem suas crias por conta disso é tão estúpido quanto proibir as pessoas de saírem de casa pra não serem assaltadas.

Só se eu puder entrar junto

Segundo essa lei nova, o shopping deve providenciar um local acessível à todos. É o tal banheiro-familia. Mas quando isso não for possível, um trocador com torneira por perto dentro de cada WC será suficiente. Nesse segundo caso, você não poderá entrar junto no banheiro masculino e deve absorver o quanto antes esta dica cheia de amor: deixe de ser imbecil, meu anjo. Sua criança está com o pai! Se ele não é capaz de proteger a própria cria durante uma troca de fraldas, melhor você criar seu bebê sozinha.

Banheiro masculino não tem a higiene necessária pra um bebê

Muitas vezes é verdade. Mas aqui vem outra incrível revelação: um pai que troca fraldas não é idiota e consegue perfeitamente avaliar se deve ou não deitar seu pequenino sobre aquela bancada. Mais: um lugar ruim é melhor que nenhum lugar. Este aqui é o tipo de crítica usada por quem foge da raia sempre que pode ou de quem nunca esteve num banheiro masculino. Cara… dá um desespero imenso você com a criança ali toda cagada sem ter um espacinho minimo pra deitar o fedorento. Qualquer prancha de madeira improvisada seria um sucesso. Quem não concorda com isso nunca passou um dia sozinho com o filho na rua. Desculpe.

Espaço familia sim, banheiro não!

Jovem, jovem… nem todo shopping é o Iguatemi. Segundo a Associação Brasileira dos Shopping Centers, havia em 2016 nada menos que 52 shoppings na cidade de São Paulo. Alguns são bem pequenos, com pouco movimento e vão realmente precisar improvisar pra se adequar a lei (eles tem apenas 6 meses pra isso). Mais uma vez: um espaço meio inadequado é melhor que espaço nenhum. Acredite: nada vai parar um pai decidido a cuidar da sua criança. Se preciso ele vai invadir o wc feminino, vai forrar o porta-malas com a propria camisa, vai trocar seu filho do lado do pudim no buffet a quilo se for o único espaço limpo. Uma pequena saga sobre isso pode ser lida aqui, quando ocupei sem cerimônia o banheiro feminino de uma maternidade.

Pois bem. Mais importante ficar argumentando em cima do papo de quem não sabe direito pra que serve um pai é ver que tem gente* trabalhando pra sairmos da idade média. Essa lei vai chamar atenção de uma galera que nunca pensou nisso, talvez puxe outras iniciativas, vai trazer reflexão mas também muito discurso tipo esses que citei aí em cima. Juro que cada vez que eu ouvir uma dessa vou parar o que estiver fazendo e explicar com toda paciência do mundo o tamanho do engano que está sendo cometido, afinal pra sair da idade média é preciso lutar uma cruzada por dia.

(*) A lei do fraldário foi criada pelos vereadores Toninha Vespoli (PSOL), Eduardo Suplicy (PT), Sâmia Bomfim (PSOL) e sancionada pelo prefeito João Dória (PSDB).

E aí, gostando do Turno do Dia? Agora temos um livro! Compre aqui com frete grátis para todo Brasil (excelente presente para novos pais 😉 ).

 

 

 

2 Replies to “Vitória das fraldas… só falta vencer a estupidez.”

  1. Pois é… e tá cheio de mãe por aí que acha que vai ser “menos” pir delegar o cuidado dos filhos ao pai. Então vou contar mais uma novidade: isso não te faz menos mãe, meu amor! Faz o pai mais pai, e um ser humano que pratica o amor e o cuidado. Plus: seus filhos vão ter um exemplo prático de igualdade de gênero. Olha que incrível!

  2. Sério que rolam esses comentarios/argumentos ai? Já troquei minhas crias em tanto banco de shopping, chão, e banheiro de avião que qualquer espaço com um mínimo de dignidade é bom.
    Esse pessoal que crítica deve ser o mesmo que acha que o pai tem que “ajudar” com a criança. Ajudar o cacete, tem que ser co-responsavel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *